Sua doação garante cidadania para as famílias agricultoras do Semiárido

Na primeira pesquisa de abrangência nacional, realizada pelo Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS – 2015) para mapear os hábitos de doação no Brasil, foi revelado que 77% da população brasileira fez algum tipo de doação e 66% concordam que o fato de doar pode fazer alguma diferença. Mesmo com estes resultados empolgantes do IDIS, dados como o World Giving Index (WGI), ainda posiciona o país no 68º lugar no ranking do índice global que mede a generosidade da população no apoio as causas e trabalhos sociais realizados por organizações da sociedade civil.

A diretora-presidente da IDIS, Paula Fabiani, explica que a diferença dos resultados entre a Pesquisa Doação Brasil e o WGI está principalmente no público pesquisado, pois enquanto este considerou toda a população acima de 15 anos de idade, àquela abordou uma população urbana, maior de 18 anos e com renda familiar acima de um salário mínimo.

Em sua apresentação sobre o perfil do doador brasileiro, Paula Fabiani reforça que os brasileiros fazem jus à fama de um povo solidário. “Ajudamos uns aos outros, doando tempo, bens e dinheiro. Talvez os valores ainda sejam baixos, talvez a alocação não seja tão estratégica, talvez não tenhamos sequer consciência do que seja uma sociedade civil organizada, mas queremos ajudar”.

Por considerar a doação como um ato natural de solidariedade e fonte inesgotável de esperança que alimenta o desejo de transformação social, o Chapada lança uma campanha permanente de mobilização de recursos para destiná-los as famílias agricultoras, que desenvolvem experiências agroecológicas em suas propriedades rurais.

Garantir a segurança alimentar das pessoas que vivem no campo é o primeiro passo para se ter uma vida digna longe dos grandes centros urbanos. “Para o Chapada, toda pessoa que doa é uma participante e apoiadora da missão e das causas sociais que a instituição defende. A doação permite que o/a doador/a contribua efetivamente com a produção e plantio de mudas nativas , construção de cisternas, quintais produtivos, entre outras ações”,

Assim como defendeu o filósofo e escritor norte-americano, Elbert Hubbar, sobre a importância de doar: “O amor cresce com a doação. O amor que damos é o único que mantemos. A única maneira de ter amor é oferecê-lo aos outros”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

limpar formulárioPostar Comentário